sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Entrevista ao blog Lagoa Funny

Olá! Pois é, deu tempo de mais um post. Acaba de ser postada no blog Lagoa Funny, de Três Lagoas, MS, uma entrevista minha. Por ser um blog essencialmente jovem – e a entrevista ter sido via MSN -, a linguagem é bem "internética" (palavra do pessoal do LF).

Confira a entrevista.

Mais uma vez, feliz Natal!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

BdA: A Morte de uma gigante

Já está no BdA a "Palavra do editor" "A morte de uma gigante". O post fala sobre a explosão de Eta Carinae – um evento de proporção ímpar que pode ocorrer ainda em nossa geração. Alguns parágrafos podem ser complicados, mas os seguintes são mais fáceis de se entender (ou não).

Para acessar, clique na imagem abaixo.

"A morte de uma gigante", BdA, 20/12/2010

Nos próximos dias, vou viajar para a casa da minha avó fazer umas observações. Provavelmente, este é o último post antes do Natal. Então, uma feliz Natal para você!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Hubble bubble

Hoje, a NASA divulgou uma imagem feita pelo Telescópio Espacial Hubble mostrando uma "bolha" de gás remanescente da explosão de uma estrela de grande massa – uma supernova.

SNR 0509 fotografada pelo Hubble (Foto: Hubble / NASA/ESA)

SNR 0509 está á 160 mil anos-luz, na Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia satélite da Via Láctea. A "bolha" tem 18 anos-luz de diâmetro e se expande a 11 milhões de km por hora.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Fotógrafo islandês registra intensificação de aurora

As auroras são causadas pelos ventos solares, que carregam um fluxo contínuo de partículas elétricas liberadas pelas explosões que ocorrem na superfície do Sol. Quando estas partículas atingem os campos magnéticos da Terra algumas ficam retidas provocando a luminosidade intensa pela liberação de energia ocorrida com a colisão destas partículas com as moléculas e átomos presentes na atmosfera.

A aurora boreal, do hemisfério norte, está se intensificando desde 2007 e deve atingir o ápice de luminosidade em 2012.

O fotógrafo islandês Orvar Thorgiersson, está registrando a evolução do fenômeno. "Agora há dias em que as luzes são tão claras que você pode ler um livro à noite. Elas são mais claras que a lua", diz.

O último máximo de atividade solar ocorreu em 2000. Segundo a NASA, o próximo, que ocorrerá em 2012, deve ser o maior desde 1958, quando a aurora boreal surpreendeu os habitantes do México com três ocorrências.

Em 2012, espera-se que as luzes da aurora possam ser vistas até a latitude de Roma. No entanto, caso seja de fato tão intenso, o fenômeno poderá causar problemas a telefones celulares e sistemas de GPS pela liberação de energia num grau mais elevado.

Voyager 1 no limite do Sistema Solar

A sonda espacial Voyager 1, lançada em 05/09/1977, está perto da fronteira do Sistema Solar. A 17,4 bilhões de quilômetros de casa, a sonda é o objeto feito pelo homem mais distante da Terra e identificou uma mudança na direção do vento solar à sua volta: ao invés de estar indo para fora, ele está se movendo lateralmente.
Ao se encontrar com o vento interestelar, o vento solar (partículas carregadas emitidas pelo Sol) muda de direção e aponta para a cauda da heliosfera ("bolha" de partículas com forma de cometa que envolve o Sistema Solar). Essa fronteira é o fim "oficial" do Sistema Solar.
Abastecida por sua fonte radioativa de energia, os instrumentos da sonda continuam funcionando bem e enviando informações. Um sinal de rádio leva cerca de 16 horas para viajar da Voyager para a Terra.
As últimas descobertas vêm do detector de partículas de baixa energia, que monitora a velocidade dos ventos solares – que chegou a zero.
Os primeiros sinais de que a Voyager havia encontrado algo novo apareceram em junho. Vários meses de coleta de novos dados foram necessários para confirmar a observação.
A Voyager 1 está a uma velocidade 17km/s.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Assange: WikiLeaks vai vazar documentos sobre OVNIs

Recentemente, o australiano Julian Assange ganhou notoriedade por publicar documentos secretos no site WikiLeaks. Ontem, o jornal britânico The Guardian realizou uma conversa virtual entre Assange e internautas.

O internauta "achanth" perguntou: "Senhor Assange, alguma vez já foram encaminhados para o senhor documentos que tratassem do tema UFO ou extraterrestre?".

A resposta: "Muitos nos mandam e-mails sobre isso ou sobre como descobriram que eram o anti-cristo enquanto conversavam com sua ex-mulher em uma festa no jardim sobre um vaso de plantas. Contudo, não satisfazem duas de nossas condições de publicação: 1) o documento não pode ter sido escrito por ele próprio; 2) devem ser originais".

"Contudo, vale destacar que nas partes do 'cablegate' que ainda não foram publicadas há, sim, referências a OVNIs", acrescentou, mencionando o conjunto de mais de 250 mil documentos que o WikiLeaks começou a publicar em 28 de novembro.

Na mesma entrevista, Assange assegurou que, mesmo que ele venha a sofrer algum tipo de violência, há mecanismos que garantem a sobrevivência do material do qual ele dispõe. "O arquivo do Cable Gate foi espalhado, junto com material significante dos EUA e de outros países, para mais de 100 mil pessoas, de forma encriptada. Se alguma coisa acontecer conosco, as partes fundamentais serão publicadas automaticamente."

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Charges.com.br: Toby entrevista ET Bilu

Em 12/11/2010, Maurício Ricardo publicou no site Charges.com.br uma conversa entre o entrevistador Toby e o ET Bilu. Confira!

O player não funciona?

CQC: Gentili no encalço do ET Bilu

Após aparecer na reportagem do "Domingo Espetacular", da Rede Record, sobre o Projeto Portal, o ET Bilu foi aparecer no quadro "Top Five", do "CQC", da Band, de 18/10/2010.

Em 08/11/2010, o "CQC" exibiu uma matéria em que Danilo Gentili apresenta o Projeto e mostra uma casa de Zigurats e o Centro Tecnológico. Repare quando é mostrada uma tela com a posição de vários satélites: a imagem não é de rastreamento real e sim de um software de simulação chamado Orbitron. Depois, Gentili vai ao encontro do ET Bilu - que faz uma participação ao vivo no programa.

O player não funciona?

O Player não funciona?

Para mim, Bilu se parecia com um homem de barba, sendo possível perceber bem seu cabelo. Em alguns momentos, ele parecia usar óculos. Também foi possível perceber um relógio. Li um comentário de que ele parecia "um homem com uma camisa de abotoar semelhante a do tal Urandir levantando o que parece ser um papelão".

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Faixas sumidas de Júpiter estão voltando

"Tempestade" no cinturão equatorial de Júpiter; no detalhe, a listra que está ficando escura novamente (Foto: JPL/NASA, Universidade de Oxford, Berkeley, Observatório Gemini)Uma das características listras marrom-escuras de Júpiter que astrônomos amadores notaram ter ficado branca parece que estar recuperando sua cor original.

Nesta quinta, astrônomos anunciaram ter observado as primeiras imagens do reaparecimento da listra sumida.

Conhecida como Cinturão Equatorial Sul (SEB), a listra fica na parte ao sul da linha do equador do planeta e pode ser vista por telescópios amadores. Geralmente, é marrom, mas no último outono, ela sumiu – para alguns, ficou branca.

Essa mancha fez com que astrônomos amadores e profissionais de todo o mundo apontassem seus telescópios para Júpiter.

Depois de várias observações com os três telescópios no Havaí, cientistas agora dizem que a listra está reaparecendo aos poucos.

A foto ao lado foi tirada em 18 de novembro pelo telescópio Gemini North. Ela combina imagens em azul, vermelho e amarelo em uma composição de cores falsas, que mostra claramente a "tempestade" no SEB. E a listra, que está branca desde o outono, agora parece estar se tornando escura de novo.

Cassini descobre atmosfera em Reia

A sonda Cassini, em órbita de Saturno desde 2004, de oxigênio e dióxido de carbono na atmosfera de Reia, a segunda maior lua de Saturno. Em março a sonda passou a 97 km da superfície de Reia em consegui coletar moléculas da atmosfera e confirmar a existência da camada de gases. Pesquisadores de Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha dizem que a presença de oxigênio na atmosfera do local é consistente com imagens feitas por equipamentos como o  Hubble.

A quantidade de oxigênio presente em Reia é muito inferior à que existe na Terra.  A atmosfera detectada pela Cassini é extremamente rarefeita, devido à baixa densidade e à massa pequena do satélite, entre outros fatores. A capacidade de um corpo assim conseguir reter gases e formar uma atmosfera, aliás, foi um dos aspectos que mais intrigaram os cientistas. Normalmente, os corpos celestes que possuem atmosfera costumam ser mais densos.

Reia tem apenas 1.500 km de diâmetro e está sempre coberta por uma fina camada de gelo. A estimativa é de que a temperatura no local seja de -180ºC. A atmosfera do satélite, que tem 70% de O2 e 30% de CO2, tem apenas 100 km – é tão fina que se estivesse submetida à temperatura e à pressão da Terra, caberia bem em um prédio de tamanho médio.

A descoberta vai ajudar os cientistas a entender onde mais no Universo pode haver oxigênio e a planejar futuras missões no espaço, inclusive com humanos.

"Cassini descobre oxigênio em atmosfera de Reia", BdA, 29/11/2010

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Doug Wheelock fotografa noite terrestre

Douglas Wheelock, astronauta da NASA no comando da Estação Espacial Internacional, tem compartilhado pelo seu Twitter (@Astro_Wheels) fantásticas imagens da noite na Terra. A fotografia a seguir mostra a aurora boreal, Londres e Paris. "Aurora Borealis à distância nesta bela noite sobre a Europa", escreveu Wheelock.

Fotografia a partir da ISS mostrando a Europa e auroras à noite (Foto: Douglas Wheelock)

Ele também tirou esta fotografia, que mostra claramente a Flórida numa noite clara e calma. "A península da Flórida e sudoeste dos E.U.A. no tipo de noite do qual mais sinto falta no nosso planeta", escreveu. "Uma clara noite de outono com luar sobre a água e o céu preenchido com um bilhão de estrelas."

Florida à noite, fotografada da ISS (Foto: Douglas Wheelock)

Na próxima foto, o Rio Nilo e seu delta, parecem uma flor se curvando na brisa calma. "Uma vista noturna do Rio Nilo serpenteando pelo deserto egípcio em direção ao Mar Mediterrâneo e Cairo no delta do rio."

Nilo fotografado da ISS (Foto: Douglas Wheelock)

Esta última foto mostra as bordas orientais do Mar Mediterrâneo. "Terras antigas com milhares de anos de história se estendendo de Atenas, Grécia, por todo o caminho em volta do Med[iterrâneo] até Cairo, Egito."

A porção leste da região do Mediterrâneo, visto da ISS (Foto; Douglas Wheelock)

Wheelock chegou à Estação em junho e deve voltar á Terra em 25 de novembro. Pelos tweets dele, fica claro que ele a vista vai fazer falta. "Vou sentir falta de nosso mundo maravilhoso."

"Astronauta na ISS fotografa noite terrestre", BdA, 19/11/2010

Deep Impact atravessa nuvem de gelo e CO2 do cometa Hartley 2

A sonda Deep Impact – cumprindo a missão EPOXI –, da NASA, ficou no meio de uma tempestade de gelo num de seus últimos voos, quando estava próxima ao cometa Hartley 2. A nave chegou a 700 quilômetros do cometa em 4 de novembro. Câmeras na sonda registraram imagens da tempestade. Elas mostram uma espécie de névoa branca cercando o cometa, que tem cerca de 800 metros de comprimento.

A tempestade foi causada por jatos de dióxido de carbono lançados do interior do cometa. Conforme era expelido, o gás levava consigo toneladas de gelo. Alguns fragmentos eram do tamanho de bolas de basquete. Os pesquisadores da NASA disseram que esse tipo de tempestade contraria o que se pensava sobre o comportamento dos cometas.

Imagem ampliada feita pela sonda mostra partículas de gelo do cometa (Foto: NASA/JPL-Caltech, UMD)

"Quando vimos isso pela primeira vez, nossas bocas simplesmente se abriram", diz Peter Schultz, da Brown University, cientista da equipe da missão de sobrevoo. "Para mim, esta coisa toda se parece com um globo de neve que você chacoalhou."

 

"Deep Impact atravessa nevasca do cometa Hartley 2", BdA, 19/11/2010

Tempestades solares ameaçam redes elétricas e de comunicação

Os distúrbios magnéticos originados no Sol podem afetar não só satélites em alta altitude, mas também redes elétricas no solo, oleodutos e redes de comunicação. Quando o campo magnético terrestre sofre grandes perturbações, produz correntes na superfície da Terra

Sol (Foto via arquivo do editor)

A tempestade solar mais forte registrada ocorreu em 1859. Foi considerada moderada porque a civilização não dependia tanto de tecnologia. Se ela tivesse ocorrido nos dias de hoje, os prejuízos seriam significativos. Em 13 de março de 1989, uma tempestade magnética devida a um fluxo de partículas solares eletricamente carregadas havia provocado pane na rede Hydro-Quebec, deixando 6 milhões de canadenses sem eletricidade por 9 horas.

Uma grave tempestade solar poderia causar vinte vezes mais prejuízos econômicos aos Estados Unidos do que o furacão Katrina, de 2005, advertiu a Academia estadunidense de Ciências em 2008. O custo poderia chegar a US$ 2 bi de dólares num primeiro ano de ocorrência de uma tal catástrofe. O relatório destaca a vulnerabilidade de setores como as redes elétricas, localização GPS, transportes aéreos, transações financeiras, comunicações radiofônicas.

sábado, 30 de outubro de 2010

SABE – Associação Amiga dos Bichos e da Ecologia

Gostaria de apresentar uma ONG que venho ajudando há pouco tempo, a Associação Amiga dos Bichos e da Ecologia (SABE). A SABE está baseada em minha cidade, Taubaté, no Vale do Paraíba paulista.

A organização defende os direitos animais e a preservação da natureza. Ainda está no começo, mas seus integrantes têm grande vontade de agir, o que garante o futuro de suas atividades.

Quem me conhece sabe que sempre me importei com os animais. Com o passar do tempo e dos estudos, também percebi a importância da preservação ambiental - que tive a oportunidade de desenvolver "oficialmente" no período em que fui membro do Núcleo de Prevenção de Acidentes e Qualidade Ambiental (NPAQA) da Escola SENAI "Felix Guisar" (3.01), também em Taubaté.

Entre as várias atividades da SABE, está o Encãontro - um evento na Praça Santa Terezinha, em Taubaté (Que coincidência!), que conta com adoção de animais, adestradores dando dicas, orientações sobre a responsabilidade de se ter um animal de estimação, orientações de veterinários e cadastro de associados da ONG. A SABE também cuida de animais de rua, tentando encontrar um bom lar para eles.

Nesta quinta, houve um coquetel para apresentar as semijóias da ONG em parceria com Marina Gheler. Eu estava lá e foi muito bacana! Karina Sbruzzy, da revista Tal, também estava. Já há fotos nos blogs de Karina e da revista. Confira:

Blog da revista Tal: "Lançamento da SEMIJOIA "SABE", uma parceria da Ong Sabe e Marina Gheler" e "Mais fotos = LANÇAMENTO SEMIJOIA "SABE" em parceria com Marina Gheler"

Blog de Karina Sbruzzy: "Lançamento da SEMIJOIA "SABE", uma parceria da Ong Sabe e Marina Gheler"

Também há fotos no Twitpic Guilherme Amaral, membro da SABE. Guilherme também mantém um blog, o "pub&cult your lifestyle", onde também postou as fotos: "Coquetel | "Lançamento das Semi-jóias - ONG SABE""

(Eu tirei muitas fotos, mas ainda não descarreguei a máquina. Em alguns dias, posso colocar algumas aqui.)

Conheça também o blog da SABE, através do qual você pode entrar em contato.

Telefone da SABE: (12) 30252428

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

1112

A NASA divulgou ontem a imagem de uma supermancha solar batizada de 1112 lançando labaredas. Até agora, nenhuma das explosões produziu uma ejeção de massa coronal em direção à Terra, mas um grande filamento magnético – maior do que a distância entre a Terra e a Lua – está cortando o hemisfério sul solar.

Imagem da sonda SDO divulgada nesta quinta-feira (21/10/2010) (Foto: NASA)

É possível identificar um ponto brilhante um pouco acima do filamento – a radiação ultravioleta da supermancha solar. Se ocorresse uma explosão, toda a estrutura entraria em erupção. A proximidade não é uma coincidência: o filamento parece estar encravado na mancha solar abaixo.

Supermancha solar 1112 em imagem do SDO (Foto: NASA)

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Amador irlandês descobre supernova

Mais uma prova da importância dos "amadores" para a ciência!!!

Em 17 de setembro, uma supernova ocorrida há 300 milhões de anos – foi descoberta por um astrônomo amador em um observatório improvisado no terraço de sua casa, em Dublin, na Irlanda. David Grennan, 39, já estava indo para a cama quando viu a explosão em seu telescópio. Ele comparou imagens da mesma região do céu tiradas em agosto e setembro e notou uma mancha preta nas últimas imagens, que não estavam lá antes.

Segundo Grennan, a força da supernova deve ser equivalente a 100 milhões de Terras explodindo ao mesmo tempo. Ela deve ficar visível ao telescópio durante dois ou três meses antes que desapareça.

Ele trabalha como desenvolvedor de software da CIÉ, uma empresa estatal de transporte irlandesa, mas gasta seu tempo observando estrelas, um hobby que ele tem desde os cinco anos.

Em entrevista ao jornal Daily Mail, nesta ontem, Grennan disse que comprou seu primeiro telescópio novinho em folha em 1991 e que foi melhorando seus equipamentos ao longo dos anos, até construir seu observatório em 2005.

David Grennan e sua mulher, Carol, no observatório caseiro que ele montou no terraço de sua casa, em Dublin, na Irlanda (Foto via R7)

Ele disse que comprou a maior parte dos instrumentos em uma loja do tipo "faça você mesmo" e montou o observatório em dois meses e que ganhou um telhado retrátil para que ele possa se proteger da chuva. Grennan costuma se dedicar duas noites por semana ao hobby, com Carol, sua mulher, que o ajuda a encontrar imagens interessantes.

Há dois anos, ele descobriu um asteroide de três metros de largura.

Que tal tornar-se um descobridor antes do próximo nascer do sol?

 

"Astrônomo amador descobre supernova", BdA, 08/10/2010

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Por que algumas auroras 'piscam'?

Caso você esteja no Alasca, no norte do Canadá ou na Rússia, pouco antes do amanhecer conseguirá ver um leve brilho esbranquiçado da aurora boreal. Depois de olhar por alguns minutos, as luzes começam a piscar, como se alguém estivesse brincando com o interruptor de luz. É uma aurora pulsante, formada por luzes que piscam a cada cinco a 40 segundos.

Aurora boreal (Foto via R7) 

Há décadas, cientistas tentam explicar este fenômeno.

Agora, Yukitoshi Nishimura, da Universidade da Califórnia, cientistas da NASA, cinco aeronaves e um pequeno exército de câmeras apontado para o céu descobriram que a energia é provocada pelo campo magnético da Terra.

Quando partículas carregadas do Sol se aproximam da Terra, o campo as captura e as direciona para os polos. São criadas explosões de energia eletromagnética chamadas ondas siblilantes.

Nishimura e o grupo Themis, da NASA, descobriram que essas ondas aparecem em intervalos regulares nos mesmos lugares na forma de manchas de luz. Quanto mais fortes as ondas, mais brilhante a luz.

Cálculos mostraram que essas ondas interagem com elétrons do campo magnético, fazendo-os cair na atmosfera criando um show com as luzes da aurora, da mesma forma que um tubo de raios catódicos criava imagens na tela de um velho aparelho de TV.

 

Saiba mais: "Pesquisadores descobrem por que algumas auroras 'piscam'", BdA, 05/10/2010

O 'rockoon' romeno

A Associação Romena de Aeronáutica e Cosmonáutica (ARCA) é uma das 22 equipes competindo pelo Google Lunar X Prize - que dará US$ 20 milhões à primeira equipe que envie à Lua um robô que consiga viajar 500 metros em sua superfície, tirar fotos das redondezas e enviá-las de volta à Terra.

A ARCA, que entrou na competição em 2008, carrega a distinção de ser uma das únicas que objetiva construir seu próprio foguete fara a disputa. Ela espera alcançar a Lua com um foguete lançado de um balão. Tais "rockoons" (rocket, foguete + baloon, balão) foram usados no início da era espacial para enviar experimentos a altas altitudes, mas a estratégia de economia de combustível foi abandonada em favor das plataformas de lançamento concretas.

Em novembro de 2009, a primeira tentativa de lançamento da equipe, terminou quando as linhas usadas para inflar o balão se emaranharam. Uma segunda tentativa, em agosto de 2010, foi cancelada quando a couraça do balão se rompeu. Mau tempo no Mar Negro, de onde os balões são lançados, também causou atrasos.

Em 1º de outubro, sucesso! Quando o balão atingiu a altitude de 14 quilômetros, o foguete suspenso foi acionado por 30 segundos, alcançando a altitude de 40 quilômetros. Segundo a equipe, esta é "a maior altitude alcançada por um objeto voador projetado e construído inteiramente na Romênia".

Balão com foguete romeno pouco antes do lançamento (Foto: ARCA)

O foguete usado neste voo, apelidado de Helen 2, visa apenas voos curtos à atmosfera terrestre superior. Para chegar à Lua, a ARCA pretende usar um foguete maior, de três estágios, chamado Haas. Este foguete será quase 30 vezes mais pesado que o Helen 2, com 23 toneladas na decolagem. Para vencer o X Prize, provavelmente, o Haas terá de ser o primeiro a ser lançado.

O prazo final da competição é 31 de dezembro de 2014. Se alguém quiser entrar…

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

China lança Chang'e-2

A China lançou hoje (01/10/2010) sua segunda sonda lunar, a Chang'e-2.O foguete Longa Marcha 3C com a sonda decolou no horário previsto, 7h59 em Brasília, da base de Xichang, na província de Sichuan (sudoeste chinês).

O dia escolhido pela CNSA (Administração Nacional do Espaço da China) não é aleatório, já que hoje são celebrados os 61 anos da proclamação da República Popular da China.

O lançamento foi transmitido ao vivo pela TV estatal chinesa.

O player não funciona?

A sonda de 2,48 toneladas deve chegar à Lua em 5 dias. Quando estiver orbitando a Lua, a cerca de 15 km da superfície, ira tirar fotos com resolução dez vezes maior do que as tirada pela Chang'e-1, lançada em 2007.

Um dos locais que mais deve ser estudado é a Bacia do Arco-íris, uma região inundada por lava solidificado. Lá, deve pousar o Chang'e-3 – um veículo teleguiado que deve ser lançado em 2013.

 

Saiba mais: "China lança Chang’e-2", BdA, 01/10/2010

Rea e Dione

Em junho de 2008 a sonda Cassini, pelas bandas de Saturno, tirou a fotografia abaixo. A imagem mostra Rea e Dione, luas do planeta dos anéis. Dione (no topo), com 1.120 km de diâmetro (32% o da Lua), passou 500 mil km na frente de Rea, 1.530 km de diâmetro. A reflexividade parecida das duas e uma grande cratera perto do polo sul de Dione criaram uma curiosa ilusão de ótica, fazendo parecer que as duas são um único corpo.Reflexividade parecida e cratera em Dione cria cusioso efeito em alinhamento com Rea (Foto: NASA/JPL/Space Science Institute)

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Gliese 581 g

Manchete no Blog do Astrônomo (Foto: reprodução)

Manchete no R7 (Foto: reprodução)

Manchete no site da New Scientist (Foto: reprodução)

Manchete no G1 (Foto: reprodução)

Manchete no site da Reuters (Foto: reprodução)

As manchetes falam por elas mesmas. Ontem, a Fundação Nacional de Ciência (NSF) dos EUA anunciou que astrônomos descobriram o primeiro planeta fora do Sistema Solar com condições para a vida.

O exoplaneta Gliese 581 g é um dos seis planetas girando em torno da a anã vermelha Gliese 581 (cem vezes menos brilhante que o Sol), na constelação de Libra. Ele completa sua órbita em 37 dias e está à distância certa de sua estrela para conter água na forma líquida, que ainda não foi detectada. Sua massa está entre 3,1 e 4,3 Terras – valor relativamente baixo, indicando composição rochosa. Sendo rochoso e tendo esta massa, seu diâmetro seria 1,2 ou 1,4 o da Terra. A gravidade na superfície seria igual ou um pouco maior do que a da superfície terrestre.

Concepção artística de Gliese 581 g (Foto via New Scientist)

Por emitir tão pouca luz e calor, a zona habitável da estrela Gliese 581 – a 20 anos-luz (aprox. 190 trilhões de km) da Terra – se encontra muito mais próxima, se comparada com a do Sol. A uma distância tão pequena, planetas sentiriam puxões gravitacionais provenientes da estrela que provavelmente deixariam sua rotação mais lenta com o tempo, até que ficassem mostrando sempre o mesmo lado para ela: de um lado é sempre dia, de outro, sempre noite.

Uma primeira estimativa sugere que a temperatura seria de 71°C no lado diurno e -34°C no lado noturno, embora os ventos possam atenuar as diferenças redistribuindo o calor pelo planeta.

Steven Vogt, da Universidade da Califórnia em Santa Cruz (UCSC), e Paul Butler, da Instituição Carnegie, em Washington, DC, usaram o telescopio Keck I, de 10 m, no Havaí, para medir as oscilações que a gravidade dos planetas causava na estrela. As observações duraram 11 anos. Eles combinaram seus dados com medidas publicadas por Michel Mayor, do Geneva Observatory, e seus colegas usando um telescópio de 3,6 m do Observatório Europeu do Sul (ESO) no Chile.

 

"Astrônomos encontram exoplaneta que pode sustentar vida", BdA, 30/09/2010

Mudança de endereço do BdA

Em breve, o Live Spaces será desativado. Por isso, ontem, o BdA foi transferido para o WordPress: http://blogdoastronomo.wordpress.com.

Avise seus amigos que se interessam por Astronomia e acompanham o Blog. Se não acompanham, indique!

Por enquanto, quem tentar acessar o endereço antigo (http://blogdoastronomo.spaces.live.com) será redirecionado automaticamente.

domingo, 26 de setembro de 2010

Auroras IV de Saturno

Na Terra, auroras surgem quando partículas carregadas do vento solar são levadas pelas linhas do campo magnético aos pólos e atravessam a atmosfera superior. Em Saturno, também há auroras. Por lá, parece que uma mistura complexa de outros fenômenos contribui. Quando as partículas carregadas atingem a atmosfera superior de Saturno, ionizam átomos de hidrogênio e produzem radiação infravermelha, enquanto processos relacionados causam auroras em ondas de rádio e ultravioleta.

A imagem abaixo, em cores falsas, é uma combinação de 65 observações feitas pelo Espectrômetro de Mapeamento Visual e Infravermelho da sonda Cassini em 2008. A aurora, em verde, está no IV próximo em comprimentos de onda de três a quatro mícrons. O azul representa luz solar refletida, dois mícrons, e o vermelho, emissões térmicas, cinco mícrons.

Imagem em cores falsas feita pela Cassini mostra auroras IV de Saturno (Foto: NASA/JPL/University of Arizona/University of Leicester)

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Earl

Douglas Wheelock, astronauta da NASA na ISS (Estação Espacial Internacional), tuitou twittou twitou postou no Twitter uma imagem do furacão Earl, que está ganhando força e deve chegar aos EUA antes do fim de semana.

My name is Earl!!!

Ops! Earl errado!!! É a foto abaixo!

Olho do furacão Earl; à direita, nave russa Soyuz acoplada à ISS (Foto: Douglas Wheelock)

Um avião DC-8, também da NASA, sobrevoou o furacão. A foto abaixo foi tirada na segunda-feira, quando Earl entrava na categoria 4 da escala Saffir Simpson, que vai até 5.

Vista de Earl a partir de DC-8 sobrevoando o furacão (Foto: Jane Peterson / NASA)

Confira mais no BdA

sábado, 28 de agosto de 2010

Prepare-se…

Mais um documentário está prestes a chegar ao Blog do Astrônomo

Sexta-feira, 3 de setembro

 

Saia da "Matrix".

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Amadores???

A Dinamarca pode estar prestes a se tornar o quarto país a enviar um humano ao espaço. Kristian Von Bengston e Peter Antibes Madsen, inventores dinamarqueses, pretendem lançar o primeiro foguete construído por amadores a levar pessoas ao espaço. Criado pela empresa Suborbitals, o foguete deverá ser lançado no dia 30 de agosto de um submarino no mar Báltico. Se a experiência der certo, Madsen espera estar dentro da cápsula Tycho Brahe, que só comporta um tripulante.

A construção começou desde 2004 e não teve nenhum financiamento público. A Suborbitals é uma organização sem fins lucrativos que vive só de patrocínio, doações e voluntários.

Apelidado de HEAT, sigla em inglês para Transportador Exo Atmosférico Híbrido, o foguete tem 9 m de altura e usa oxigênio líquido como combustível.

O HEAT, visto de baixo (Foto via R7)

O impulsionador do foguete irá queimar por 60 segundos, fornecendo 40kN de empuxo, força tolerável para que seres humanos possam viajar na posição vertical do módulo. O impulsionador será descartado antes que a nave atinja a microgravidade. Depois, a Tycho Brahe será desacelerada por um paraquedas auxiliar, seguido por três paraquedas principais. Finalmente, a nave irá aterrissar na água.

Duras de matar

Cientistas da Open University realizaram o seguinte experimento: deixaram uma pedra com bactérias no exterior da Estação Espacial Internacional (ISS) por 533 dias. Elas foram expostas a raios cósmicos, forte radiação UV e grandes mudanças de temperatura. Além disso, toda a água presente na pedra desapareceu no vácuo. Agora, o resultado do experimento foi anunciado: algumas bactérias SOBREVIVERAM!!!

Já era sabido que esporos de bactérias conseguem sobreviver vários anos em órbita, mas este é o maior período de sobrevivência registrado por cianobactérias no espaço. Elas foram tiradas de penhascos de Beer, costa sul da Inglaterra, e têm uma parede celular espessa - que pode ser um motivo para terem sobrevivido à prova.

Quando as rochas foram enviadas ao espaço, tudo o que se sabia é que tinham comunidades de bactérias diferentes. Não se tinha ideia de quais delas voltariam vivas à Terra – se é que alguma o faria.

"Acreditamos que esse micróbio pode ser usado em sistemas de suporte vital, para manter pessoas na Lua ou em Marte, onde não há oxigênio", disse o professor Charles Cockell, participante do Estudo.

Segundo a pesquisadora Karen Olssonncis, também da Open University, "também existe um conceito de que se nós tivéssemos de desenvolver bases na Lua ou em Marte, poderíamos usar bactérias para biomineração, ou seja, para extrair minerais importantes das rochas".

A pesquisa alimenta uma teoria bem popular de que micróbios podem viajar de um planeta a outro em rochas (meteoritos) e semear vida onde ela não existe.

 

"Bactéria sobrevive 553 dias no espaço", BdA, 27/08/2010

domingo, 22 de agosto de 2010

Qual é a música?

Nesta sexta-feira, começou um concurso da NASA para escolher as músicas que será usadas para acordar os astronautas nas duas últimas missões dos ônibus espaciais.

De costume, quem escolhe as músicas são amigos e parentes dos tripulantes.

A NASA fez um site onde se pode votar em uma lista com 40 músicas ou enviar uma própria.

As duas músicas mais votadas serão tocadas no último dia da missão STS-133, do Discovery, e STS-134, da Endeavour, que encerrarão a era dos ônibus espaciais.

"Estamos ansiosos para ouvir a música que o público vai escolher", disse Steve Lindsey, comandante da STS-133. "Vai ser uma decisão difícil", acrescentou.

O comandante da última missão do Endeavour, Mark Kelley, também disse que ele e sua tripulação desejam saber qual será a canção eleita.

A missão do Discovery está prevista para 1º de novembro e a do Endeavour para 26 de fevereiro de 2011.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

50 anos do voo de Belka e Strelka

Hoje é o 50º aniversário do lançamento do Sputnik-5, que continha os primeiros seres vivos a viajar ao espaço e retornar vivos à Terra.

Os tripulantes da nave: 42 ratos e 2 cadelas – Belka e Strelka. Eles foram lançadas ao espaço em 19 de agosto de 1960 e retornaram no dia seguinte, após 17 órbitas.

Belka e Strelka viraram celebrities… não só na União Soviética, mas em todo o mundo. Meses depois, Strelka deu à luz seis filhotes saudáveis. Um deles, Pushinka, foi dado à Caroline Kennedy, filha do então presidente John Kennedy, como presente do líder soviético Nikita Khrushchev.

Belka e Strelka (Foto via R7)

Com a missão, ficou provado que era possível ir ao espaço e voltar em segurança e, em 12 de abril de 1961 (menos de um ano depois), Yuri Gagarin se tornou o primeiro homem no espaço.

Mas nem tudo foram flores… Antes de tudo isso, em 3 de novembro de 1957, a cadela Laika havia sido lançada no Sputnik-2. A cápsula foi danificada ao se desprender do foguete e Laika faleceu horas depois. Mesmo que os danos não tivessem ocorrido, os próprios cientistas da missão não estavam otimistas quanto ao voo. Eles queriam mais tempo, mas foram pressionados a lançar a missão com rapidez, para comemorar o aniversário da Revolução Russa.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Aqua registra incêndios perto do Rio Madeira

Uma foto do espectro-radiômetro de resolução moderada (MODIS) do satélite Aqua, da NASA, mostrou incêndios do dia 07/08/2010 perto do Rio Madeira e da capital rondonense Porto Velho.Imagem de satélite mostra incêndios perto do Rio Madeira (Foto: Aqua/NASA)

Na imagem, os pontos vermelhos indicam temperaturas associadas a focos de incêndio as manchas em cinza, à fumaça liberada pela maioria dos pontos.

À primeira vista, a localização dos incêndios pode parecer aleatória, mas uma olhada mais de perto sugere que os fogos acontecem perto de áreas desmatadas, principalmente de estradas (road), linhas retas, finas e avermelhadas, que surgem a partir do Rio Madeira no topo da imagem.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Acabou a novela!!!

Nesta segunda-feira, a dupla Douglas Wheelock e Tracy Caldwell Dyson conseguiu completar a instalação de uma bomba de amônia na Estação Espacial Internacional (ISS). Foi a terceira caminhada espacial com esse objetivo.

A saída ao espaço durou 7 horas e 20 minutos. Ainda sobrou uma tarefa a ser cumprida: instalar um cabo de alimentação entre o compartimento de entrada de ar e o módulo Unity. Mesmo assim, a NASA considerou a caminhada um sucesso.

Mas, pode vir mais por aí… A agência espacial estuda uma quarta caminhada para colocar a bomba danificada na armação da ISS.

sábado, 14 de agosto de 2010

Chuva de Perseídas

Na noite dessa sexta-feira 13, riscos no céu!!! Eram os meteoros Perseídas, criados quando a Terra atravessa o rastro do cometa Swift-Tuttle.

Perseída cruza o céu da Macedônia (Foto: Efe)

Meteoro risca o céu da Macedônia (Foto: Efe)

Perseída no céu da Macedônia (Foto: Efe)

Os meteoros foram vistos com maior facilidade na Europa e na América do Norte. A fase lunar e as condições climáticas possibilitaram a observação a olho nu.

A taxa de meteoros por hora chegou a 142.

Para muitos brasileiros, a noite foi frustrada. Quase nada foi visto. Em alguns lugares, nem o "quase"! Além do fenômeno ocorrer perto do horizonte, a poluição das grandes cidades e o tempo não ajudaram…

O lamento de muitos ficou retratado no Twitter com a tag #meteoros.

Perseída é registrado sobre Stonehenge, na planície de Salisbury, sul da Inglaterra Foto de longa exposição (Foto: Doherty Kieran / Reuters)

Meteoro cruza o céu da reserva natural de El Torcal, perto de Málaga, no sul da Espanha (Foto: John Nazca / Reuters)

Paciência… Mesmo porque vem mais por aí…

 

"Perseídas são fotografados em várias partes do planeta", BdA, 14/08/2010

Happy birthday, Tracy!

Hoje, a astronauta americana Tracy Caldwell Dyson sopra as velinhas (metaforicamente, é claro) na ISS, a Estação Espacial Internacional. Ela completa 41 anos!

Hoje é dia de faxina na ISS e a aniversariante dedicou parte do dia à limpeza da Estação, junto com os colegas americanos Shannon Walker e Douglas Wheelock, e os russos Aleksandr Skvortsov, Mikhail Kornienko e Fyodor Yurchikhin.

Segundo o Centro de Controle de Voos Espaciais (CCVE), em Moscou, a limpeza da ISS demora dois ou três dias, mas com a colaboração de todos a bordo, "a estação estará limpa em duas horas e meia".

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Governo libera arquivos sobre OVNIs

É ISSO MESMO!!! Confesso que não achei que daria esta notícia tão cedo.

Confira no BdA: "Portaria regulamenta como Aeronáutica deve lidar com notificações de OVNIs" (10/08/2010)

Os ufólogos brasileiros gostaram, mas dizem que ainda faltam muitos arquivos…

"É a Aeronáutica admitindo, no Diário Oficial, a existência de objetos não-identificados. Esse tipo de determinação já existia dentro da Força Aérea há anos, sempre soubemos, mas sempre era algo secreto. Agora está aberto, para todo mundo ver", disse o ufólogo Luciano Stancka Silva.

Apesar disso, ainda faltam alguns arquivos, como os da Operação Prato, realizada em 1977 no Pará.

"Hoje temos certeza que a região Norte do país foi visitada por seres extraterrestres e o governo sabe disso. Só recebemos um resumo sobre a Operação Prato, com 130 fotos, quando sabemos que foram tiradas de 500 a 600. Onde está esse material?", pergunta Fernando Ramalho, também ufólogo.

A assessoria de imprensa da Aeronáutica afirmou em nota que a população terá acesso liberado aos arquivos enviados ao Centro de Documentação e Histórico e que nem todos os arquivos foram liberados – mas que isso irá acontecer gradualmente.

A Aeronáutica também ressaltou que "não dispõe de uma estrutura especializada para realizar investigações científicas a respeito desses fenômenos aéreos, restringindo-se ao registro de ocorrências e ao seu trâmite para o Arquivo Nacional".

 

 

"Ufólogos comemoram decisão, mas pedem mais arquivos", 11/08/2010

Segunda caminhada espacial de reparos na ISS

Às 9h27 de hoje, Douglas Wheelock e Tracy Caldwell Dyson, começaram a segunda caminhada espacial para consertar o sistema de refrigeração da Estação Espacial Internacional (ISS).

Em 31 de julho, uma bomba de amônia apresentou problemas e deixou de funcionar. O objetivo é substituir o equipamento por um reserva, levado à ISS em julho de 2006.

Na primeira caminhada, no sábado, a dupla ficou 8 horas e 3 minutos fora da Estação. Na ocasião houve um vazamento de amônia.

Doug Wheelock, no braço robótico, conserta sistema de refrigeração da ISS (Foto: NASA)

Douglas Wheelock (direita)e Tracy Caldwell Dyson (abaixo) trabalham em reparos na ISS (Foto: NASA)

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Abandonar o planeta!!!

O físico Stephen Hawking – que ocupa o cargo que um dia foi de Isaac Newton – declarou que nossa espécie deveria abandonar a Terra no próximo século ou se considerar extinta.

"Eu vejo grandes perigos para a raça humana", disse ele. A solução seria nos espalhar pelo espaço.

Em entrevista ao site Big Think, Hawking disse que há muitas ameaças hoje, como guerras, exploração excessiva de recursos naturais e superpopulação.

E ele vai além: "Se alienígenas nos visitassem agora, o resultado seria muito parecido com o que aconteceu quando Colombo chegou à América: não foi nada bom para os povos nativos." "Esses alienígenas avançados talvez sejam nômades, procurando conquistar e colonizar quaisquer planetas que eles consigam alcançar."

Mas ele mostra um certo otimismo. "Fizemos muito progresso nos últimos cem anos. Se quisermos ir além dos próximos cem, o futuro é o espaço."

sábado, 7 de agosto de 2010

EVA de reparos na ISS

Neste sábado, Doug Wheelock e Tracy Caldwell Dyson – astronautas da Estação Espacial Internacional (ISS) –  saíram ao espaço para consertar o sistema de refrigeração da Estação. A caminhada espacial deveria ter ocorrido na sexta, mas foi adiada para que o pessoal em terra pudesse planejá-la melhor. Os dois saíram da ISS às 8h26 (de Brasília) e previa-se que demorassem sete horas para voltar.

No dia 31 de julho, uma bomba do sistema de refrigeração parou de funcionar e a caminhada espacial foi planejada durante a semana para substituir o equipamento danificado por um reserva. O problema não colocou os astronautas em perigo, mas o reparo é tido como desafiador.

Outra caminhada está programada para segunda-feira para concluir o conserto.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

VLT mostra supernova em 3D

Usando o novo espectrógrafo SINFONI, que oferece altíssimo nível de detalhe, no Telescópio Muito Grande (VLT), astrônomos do Observatório Europeu do Sul (ESO) conseguiram imagens tridimensionais do material expelido pela Supernova 1987a.

Eles perceberam que as partículas liberadas se concentravam em uma direção, indicando que a supernova era bem turbulenta e assimétrica, uma descoberta que condiz com os últimos modelos científicos sobre a morte de estrelas. Segundo os cientistas, o material foi expelido a 99 milhões de km/h. Mesmo assim, foram levou dez anos para que eles atingissem um anel de gases e poeira criado anteriormente, durante a "morte" da estrela. O VLT também mostrou outra onda de destroços viajando pelo espaço dez mais devagar e aquecida por elementos radioativos criados na explosão.

Os dados representam a primeira confirmação da assimetria de uma supernova.

Descoberta em 1987, a Sn 1987a foi a primeira supernova vista a olho nu em 383 anos. Fica a 168 mil anos-luz da Terra, na Nebulosa da Tarântula, na Grande Nuvem de Magalhães.

 

"Astrônomos captam supernova em 3D", BdA, 04/08/2010

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Erupção solar deve gerar aurora boreal ESTA NOITE

Após um período de descanso, o Sol parece estar voltando a seu auge de atividade. Na manhã de domingo, uma ejeção de massa coronal lançou plasma na direção da Terra. A erupção foi fotografada pelo Solar Dynamics Observatory (SDO), da NASA.

Imagem de raio-X do Sol obtida pelo SDO mostrando um filamento de plasma sendo lançado ao espaço como um arco negro próximo à extremidade superior direita (Foto: NASA)

O plasma deve chegar à Terra esta noite. Ao fazer isso, ele irá interagir com o campo magnético terrestre. As partículas seguiram uma rota traçada pelas linhas de força do campo magnético em direção aos polos e, ao passarem pela atmosfera, trombarão com átomos de nitrogênio e oxigênio, gerando o brilho característico das auroras.

Embora auroras sejam vistas somente em altas latitudes, tempestades geomagnéticas causadas por erupções solares potentes, como a de domingo, podem iluminar o céu em latitudes mais baixas. Se você está no norte dos Estados Unidos, deve olhar para o norte e procurar por cortinas de luz verde e vermelha.

Satélite fotografa incêndios na Rússia

Abaixo está uma fotografia em cores reais divulgada hoje pela NASA. A foto, tirada pelo satélite americano MODIS, mostra a extensão dos incêndios no oeste russo.

Fotografia mostrando incendios no oeste russo (Foto: NASA / MODIS Rapid Response)

A fumaça se estende por 1.700 km.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

ESO fotografa WR 22

Um observatório do ESO (Observatório Europeu do Sul) no Chile registrou uma imagem de WR 22 divulgada hoje. WR 22 é uma estrela incomum – uma estrela de Wolf-Rayet. Ela na constelação da Quilha, próxima a Eta Carinae (tema da próxima "Palavra do Editor"). Vista no centro da imagem, WR 22 fica a 5 mil anos-luz da Terra e teria até 70 massas solares. A estrela pode ser vista a olho nu em lugares favoráveis.

WR 22 (Foto: ESO)

domingo, 25 de julho de 2010

Marcos Pontes em 'Legendários' / O quê não fazer na Lua

Pois é… O blog está de volta! A abdução O sumiço durou mais de duas semanas…

No último sábado, o programa "Legendários", da Rede Record, exibiu uma entrevista com o astronauta Marcos Pontes. A entrevista foi feita pela integrante do programa Teena (interpretada pela humorista Miá Mello) em seu quadro "Whatever". Ela não economizou pérolas!!! O vídeo está logo abaixo: rache de rir!

O player não funciona? Clique aqui.

No mesmo programa, o famoso Mionzinho (Victor Coelho) mostrou dez coisas que não se deve fazer na Lua…

O player não funciona? Clique aqui.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Ele chegou!

(Mas acho que você não vai querer encontrá-lo pessoalmente!)

Você deve ter visto os anúncios em alguns lugares da internet. (Ou não.)

A espera acabou. Ele já está no BdA. A "Palavra do editor" deste mês traz um olhar sobre o fenômeno criptozoológico do Homem-Mariposa.

Ilustração do mais famoso avistamento da criatura

Trata-se de uma estranha criatura que tocou o terror numa cidadezinha dos Estados Unidos nos anos 60 e foi tema de um filme de 2002 com Richard Gere ("A Última Profecia", "The Mothman Prophecies"). Fica aí a dica!

Testemunhas o descrevem como tendo, pelo menos, a altura de um homem, asas de mariposa – ou borboleta – e característicos olhos vermelhos brilhantes. Às vezes, foi dito que não possuía cabeça e seus e olhos ficam nos "ombros". Ele emite um som alto muito parecido com o de um grito de mulher que pode se ouvido de muito longe. Suas plumas são geralmente descritas como cinzas ou marrons. É forte, sendo que foi visto levantando objetos tão pesados quanto carros.

Desenhos feitos por testemunhas (Foto: Mothmen.us)

E em breve tem mais…

NASA lança 'Moonbase Alpha'

A NASA disponibilizou ontem o videogame "Moonbase Alpha" para download. Com gráficos em 3D, o game se passa numa base lunar futurista a tingida por um asteroide. O jogador é um astronauta da equipe que viajou até lá para reparar o sistema de oxigênio. "Moonbase Alpha" também pode ser jogado em grupo.

O jogo, disponível para PC, pode ser baixado gratuitamente no Steam. Mais informações sobre o projeto estão no site da agência.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Moonbase Alpha

Neste dia 6, a NASA lançará game com gráficos em 3D. O jogo se passa em uma base lunar futurista. O jogador (que também pode jogar em grupo) é um membro da tripulação que viaja até a base lunar Alpha, atingida por um asteroide, para consertar o sistema de oxigênio do complexo.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Possível queda de meteorito no interior do Rio

Uma pedra encontrada no quintal de uma propriedade rural na cidade de Varre-Sai, noroeste do Estado do Rio pode ser um meteorito. Pelo menos, essa é a conclusão de uma análise preliminar feita por astrônomos e pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF). Nesta quarta-feira, eles voltaram à cidade em busca de mais indícios de meteoritos para a elaboração de um estudo.

De acordo com a assessoria de imprensa de Varre-Sai, o meteorito foi achado no último domingo por um produtor rural. Suspeita-se que a pedra tenha caído do céu no sábado. A assessoria disse ainda que o Corpo de Bombeiros de Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, recebeu ligações de moradores dizendo que viram um meteoro no final da tarde de sábado.

O possível meteorito tem 12 cm de diâmetro e 600 g. Segundo o Clube de Astronomia Louis Cruls, de Campos dos Goytacazes, não havia relatos de queda de meteoritos no país há 19 anos.

Hubble clica N11

Uma nova foto do Telescópio Espacial Hubble está entre as mais detalhadas imagens já obtidas de uma nebulosa. O equipamento registrou N11, na Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia-satélite da Via-Láctea.

N11 em nova fotografia pelo Hubble (Foto: Jesús Maíz Apellániz, Instituto de Astrofísica de Andalucía) / NASA / ESA)

segunda-feira, 21 de junho de 2010

ISS fotografa auroras austrais

As famosas auroras se dão pela interação entre o vento solar (correntes de partículas eletricamente carregadas, íons, emitidas pelo Sol) e moléculas de gás existentes na atmosfera da Terra. Quando as partículas de vento solar atingem a magnetosfera (campo magnético) terrestre, são guiadas para os polos, onde se encontram com moléculas de gás nas regiões altas da atmosfera. É, então, emitida uma forte luz, que pode ser vista a olho nu.

A foto abaixo foi tirada pela Expedition 23, da ISS, em 29 de maio. O complexo orbital estava 350 km acima da superfície do Oceano Índico. Por se tratar de uma aurora do polo sul, se chama austral.Aurora austral fotografada a partir da ISS em 29/05/2010 (Foto: NASA)

No começo deste mês, o astronauta japonês Soichi Noguchi voltou para a Terra depois de uma temporada na ISS. Ele costumava mandar via Twitter incríveis imagens feitas por ele no espaço. Pelo que parece, Noguchi ganhou um substituto: o norte-americano Douglas H. Wheelock, que chegou à ISS na quinta-feira. 

Ontem, Wheelock mostrou aos internautas o nascer do Sol e, depois, publicou a imagem abaixo, uma "obra de arte de tirar o fôlego": outra aurora austral.

O perfil de Wheelock no Twitter é Astro_Wheels.

Foto de aurora austral, publicada no Twitter em 20/06/2010 por Douglas Eheelock, na ISS (Foto via R7)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...